Quatro cidades de MS estão entre os 20 maiores em valor da produção florestal

| A CRíTICA/DA REDAçãO


Quatro cidades de MS figuram entre os 20 mais - (Foto: Marcelo Camargo)
publicidade

Quatro municípios sul-mato-grossenses tiveram destaque entre os 20 municípios do Brasil com maiores valores de produção florestal. As cidades de Três Lagoas, Ribas do Rio Pardo, Água Clara e Selvíria entraram na lista. 

Três Lagoas ocupou a quarta posição no ranking nacional, com valor de produção florestal de R$ 247,6 milhões. Ribas do Rio Pardo ficou em sétimo lugar, com R$ 207,5 milhões, Água Clara ficou em décimo nono lugar, com R$ 112,3 milhões, e Selvíria, em vigésimo, com R$ 109,3 milhões de valor de produção florestal.

Em se tratando de cidades em área de florestas plantadas, MS tem 5 municípios entre os 10 maiores. A área de floresta plantada no Estado soma 1,13 milhão de hectares. A produção de eucalipto para a indústria de papel e celulose ocupa 1,12 milhão de hectares, sendo a segunda maior área plantada do País, atrás somente de Minas Gerais, com área de 1,98 milhão de hectares. A área plantada de Pinus é de 3,7 hectares.

Dentre os 10 municípios com maior área de florestas plantadas no Brasil, cinco estão no Mato Grosso do Sul: Três Lagoas (263, 7 mil ha), Ribas do Rio Pardo (217,3 mil ha), Água Clara (131,9 mil ha), Brasilândia (128,6 mil ha) e Selvíria (87,8 mil ha).

Em 2019, a silvicultura no Estado contribuiu com 96,5% (R$ 986,6 milhões) do valor da produção florestal (R$1,02 bilhão), com queda de 12,9% em relação a 2018, após quatro anos consecutivos de crescimento. MS apresenta o sexto maior valor de produção da silvicultura do país. Já a participação da extração vegetal (coleta de produtos em matas e florestas nativas) foi de 3,4% (R$ 4,5 bilhões), com queda de 13,5% frente a 2018.

Os produtos madeireiros (carvão vegetal, lenha e madeira em tora) representam 99,6% da extração vegetal, seguidos pelos alimentícios (0,16%). A madeira representa 99,9% do valor de produção da silvicultura em MS. Houve redução de 12,9% no valor da produção dos produtos madeireiros da silvicultura. Dentre os produtos madeireiros da silvicultura, foi registrado aumento de 23,0% na quantidade produzida de carvão vegetal e 22,4% na produção de lenha. Houve redução 15,1% na produção de madeira em tora.

Apesar da retração de 5,4%, Minas Gerais continua a ter maior valor da produção (R$ 4,4 bilhões) que representa 28,3% do valor nacional da silvicultura, com o Paraná (R$ 3,1 bilhões) a seguir. João Pinheiro (MG) teve o maior valor da produção em 2019 (R$ 263,7 milhões).

Nacional - Após três anos consecutivos de crescimento, o valor da produção da silvicultura (obtida em florestas plantadas) caiu 5% em 2019 na comparação com o ano anterior, atingindo R$ 15,5 bilhões. Com isso, a participação da silvicultura representou 77,7% do valor de produção florestal, que atingiu R$ 20 bilhões, enquanto o extrativismo vegetal (em matas e florestas nativas) respondeu por 22,3%, como mostra a Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (PEVS), divulgada hoje (15) pelo IBGE.

A silvicultura supera a extração vegetal na participação no valor da produção desde 2000. A retração da silvicultura levou a uma queda de 2,7% no valor total da produção florestal (R$ 20 bilhões).


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR!

Siga o Itapora news no Facebook

Entre em contato com o Itaporã News.

Para falar com a equipe do Itaporã News, encaminhar fotos, denúncias e sugestões, entre em contato pelo WhatsApp (67) 9 9641 8820.