‘Não foi acidente’: Mãe de menino encontrado morto em freezer acredita em crime

Ela ainda disse que espera justiça no caso

| MIDIAMAX


José foi encontrado em um freezer na casa da avó (Foto: Leonardo França, Midiamax)
publicidade

Na tarde desta quarta-feira (13), presta depoimento à polícia a mãe de José Eduardo Alves Gonçalves Rosa, 15 anos, que foi encontrado morto dentro do freezer na casa da avó, na Vila Adelina. Segundo ela, o caso não teria sido um acidente e a família acredita em morte criminosa.

Ao Midiamax, a advogada Marcelle Peres Lopes relatou que a mãe estava junto com o primo de José, que o encontrou no freezer. Ainda no domingo (10), último dia em que o adolescente foi visto, a mãe estava com a avó e o pai do menino em Aquidauana. Mesmo assim, percebeu que os áudios que enviava por WhatsApp para o filho não estavam chegando.

Foi então que ela desconfiou que algo tinha acontecido. Naquele fim de semana, José passou o sábado com o irmão mais velho e com outro primo, vindo de Dourados. Ele e este primo deveriam ir até a casa da irmã de José, onde dormiriam de sábado para domingo, mas foram para a casa da avó.

Rapaz que aparece em vídeo é familiar de adolescente encontrado morto em freezer

VÍDEO: Motorista de Gol vermelho é filmado mostrando órgão genital para mulher no Lageado

No vídeo divulgado, o primo aparece saindo da casa ainda no domingo de manhã. Ele foi o último familiar a ver José ainda com vida, mas segundo a mãe do adolescente, ela não conversou com ele para saber o que pode ter ocorrido. Para a polícia e a família, este primo não é suspeito do crime.

No dia seguinte, na segunda-feira, a mãe de José teria ido até a casa da avó acompanhada de um sobrinho, que mora em Campo Grande. O portão estava trancado e ela pediu que ele pulasse o muro. Foi então que ele encontrou o adolescente morto, só de cueca, sentado dentro do freezer que estava desligado.

A família não descarta um homicídio. “Não foi acidente não', disse a mãe de José. Ela vai ser ouvida na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), onde é investigado o caso. Ainda conforme a advogada, duas facas foram encontradas na casa da avó de José, armas que seriam ‘estranhas’, pois não eram da residência.

A família ainda relatou que o jovem não tinha desavenças nem problemas com ninguém, também não tinha passagens ou envolvimento com drogas. O caso é tratado até o momento como morte a esclarecer e os laudos necroscópicos são aguardados.

Policial é executado em ataque no Paraguai e suspeita de retaliação do PCC

Após passar mal, preso morre no Instituto Penal em Campo Grande

Antes de ser capturado no Paraguai, ‘Bonitão’ do PCC ordenou fechamento de cassino de Fahd Jamil



Você está navegando pelo site Itaporã News, e o seu cliente também. Anuncie no site. Quem não é visto não é lembrado! Há 13 anos contando a nossa historia.
Contato comercial (67) 9 9679-1046.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE