‘Roskovo’: preço da carne aumenta consumo de ovos em MS

Produção de suínos também aumentou; abate de frango teve queda por causa de fechamento de frigoríficos com funcionários com covid-19

| TOP MíDIA NEWS/DIANA CHRISTIE


Crédito: Diana Christie
publicidade

Aquele prato russo ‘roskovo’ (arroz com ovo) voltou a predominar na mesa do sul-mato-grossense desde que o preço da carne bovina disparou. É o que aponta levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre a produção de ovos de galinha em Mato Grosso do Sul.

Foram 15,2 milhões de dúzias no 3º trimestre de 2020, número 28% (+3,3 milhões) maior que o registrado no mesmo trimestre de 2019 e 9,3% (+1,3 milhões) acima do que o apurado no trimestre imediatamente anterior. É a maior registrada na série histórica para o estado, iniciada em 1990.

“A alta no preço das carnes, registrada ao longo do 3º trimestre, tende a fomentar o consumo de ovos de galinha, por se tratar de uma fonte de proteína mais acessível”, explica Bernardo Viscardi, supervisor das Pesquisas Trimestrais da Produção Pecuária.

E a tendência é nacional. De acordo com o IBGE, no Brasil, a produção de ovos de galinha chegou a 1,01 bilhão de dúzias no 3º trimestre. É a maior registrada na série histórica, iniciada em 1987. Houve aumentos de 3,8% na comparação com o 3º trimestre de 2019 e de 3,6% frente ao apurado no2º trimestre de 2020.

São Paulo se manteve como maior produtor de ovos do país, seguido por Paraná e Minas Gerais. Mato Grosso do Sul ocupa o 11º lugar no ranking. O pico de produção no estado ocorreu em julho, quando foram contabilizadas 5,18 milhões de dúzias.

Consumo de carne de porco subiu

O 3º trimestre de 2020 também foi de recorde de produção de suínos em Mato Grosso do Sul. Foram abatidas 564.372mil cabeças, maior número da série. O resultado significa um aumento de 10,31% em relação ao mesmo período de 2019.

O Brasil registrou o abate de 12,71 milhões de cabeças de suínos, o que representa aumentos de 8,1% em relação ao mesmo período de 2019 e de 4,5% na comparação com o 2° trimestre de 2020, números que estabelecem um novo recorde para o setor desde 1997.

Abate de frango caiu

Por outro lado, Mato Grosso do Sul diminuiu a produção da carne de frango. Foram abatidos 40,8 milhões de cabeças no 3º trimestre de 2020. Esse número representa uma queda de mais de 1,6 milhão de cabeças em comparação ao trimestre imediatamente anterior (42,5 milhões) e diminuição de mais de 4,5 milhões em relação a igual período de 2019 (45,3 milhões).

Segundo o IBGE, efeitos da pandemia da covid-19, como paralisações temporárias devido ao contágio, impactaram a produção dos frigoríficos, o que ajuda a explicar as quedas registradas. No ranking de estados, Paraná continua liderando amplamente o abate de frangos, seguido por Rio Grande Sul e Santa Catarina. Mato Grosso do Sul ocupa a 8ª posição na lista.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã News! 

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE