MS inicia colheita do milho e risco de impacto das geadas diminui

| DOURADOSNEWS / DA REDAçãO


Segundo Aprosoja/MS a partir do dia 15 de julho, elimina-se o risco de perdas por geada - Crédito: Pedro Silvestre/Canal Rural/Reprodução
publicidade

Em Mato Grosso do Sul o plantio do milho segunda safra realizado na janela recomendada, proporcionou um início de colheita mais precoce, em relação ao ciclo anterior, e poderá evitar impactos causados pelas possíveis geadas, previstas para julho deste ano. A constatação é da Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul), que divulgou detalhes sobre o desenvolvimento da colheita do cereal.

A região Norte, segundo a Associação, é a mais avançada, com média de 1,7% do total da área já colhida, enquanto o Sul está com 0,5% e a região Central apresenta média de 0,1%. Quando comparada com a safra anterior, a porcentagem de área colhida está 0,6 pontos percentuais acima, na data de 17 de junho. Os técnicos do projeto SIGA-MS (Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio de Mato Grosso do Sul), estimam que a área colhida no estado até o momento é de aproximadamente 11.900 hectares.

A produtividade estimada para a safra é de 78,13 sacas por hectare e a expectativa de produção é de 9,34 milhões de toneladas. Contudo, em caso de ocorrência de geada na região Sul até a primeira quinzena de julho, esta projeção pode ser alterada, conforme explica coordenador técnico da Aprosoja/MS, Gabriel Balta. “A partir do dia 15 de julho, eliminamos o risco de perdas na produção, porque depois desse período, a cultura já está bem desenvolvida e a geada não representa riscos significativos de perdas”, diz.

Segundo o CEMTEC-MS (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima do Estado do Mato Grosso do Sul), entre os dias 20 de junho e 06 de julho, a probabilidade de chuva é baixa para a maior parte do Estado, exceto na região Leste e no extremo Sul, onde são esperados acumulados de até 5 milímetros.

A meteorologista do CEMTEC, Valesca Fernandes, ressalta que há previsão de baixas temperaturas para o mês de julho. “Climatologicamente, é esperada a atuação de massas de ar frio no inverno que podem favorecer a ocorrência de geadas. Mas isso precisa ser monitorado, baseado no sistema SISDAGRO do INMET, que só é previsto três dias antes da possível ocorrência”, finaliza.

Informações sobre os estádios fenológicos, ocorrência de pragas e plantas invasoras de cada região, e mais detalhes sobre os boletins podem ser acompanhados no site da Aprosoja/MS, no link www.aprosojams.org.br.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã News! 

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE