Confira as novidades semanais sobre automóveis no Brasil e no mundo

Semanalmente a coluna acompanha as notícias em destaque no meio automotivo

| CORREIO DO ESTADO / DANIEL DIAS/AUTOMOTRIX


Hyundai HB20 - (Foto: Divulgação)
publicidade

Quadrimestre morno

Com os números consolidados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), abril fechou com 136.341 unidades vendidas nos segmentos de carros de passeio e comerciais leves. Um pequeno aumento de 1,08% sobre março deste ano e recuo significativo de 16,8% sobre abril de 2021. 

O primeiro quadrimestre do ano teve 510.846 emplacamentos, representando uma queda de 22,8% em comparação ao mesmo período do ano passado. 

No acumulado de janeiro a abril de 2022, a Fiat Strada manteve a liderança entre os modelos, com 29.675 vendas, seguida pelo Hyundai HB20 (25.263) – o carro de passeio mais comercializado do país –, pelo Chevrolet Onix (22.920), pelo Volkswagen T-Cross (20.157), pelo Fiat Mobi (19.236), pelo Jeep Compass (19.001), pelo Onix Plus (sedã) (17.421), pelo Hyundai Creta (16.921) e pelos Fiat Toro (16.097) e Argo (15.617). Aparecendo pela primeira vez entre os dez mais vendidos em março, o Fiat Pulse ficou em décimo quinto no acumulado, com 14.249 emplacamentos, atrás do Jeep Renegade (15.268), do Renault Kwid (15.251), do Chevrolet Tracker (15.092) e do Toyota Corolla Cross (14.444). 

Entre as fabricantes, a Fiat ficou em primeiro também no quadrimestre, com 113.440 unidades vendidas nos dois segmentos e uma participação de mercado de 22,2%, à frente da General Motors (71.420 e 13,9%).

Frenagem inusitada

A Caoa Chery, uma das marcas de automóveis que mais cresceu no Brasil nos últimos anos, comunicou que sua fábrica na cidade paulista de Jacareí – inaugurada pela fabricante chinesa Chery em 2015 e onde eram produzidos os utilitários esportivos compactos Tiggo 2, Tiggo 3X Pro e o sedã Arrizo 6 Pro – ficará sem atividades produtivas até 2025, para que ocorra a transformação das linhas atuais para a produção de veículos híbridos e elétricos.

 A unidade industrial da cidade goiana de Anápolis, inaugurada em 2001 pelo Grupo Caoa e onde são montados os utilitários esportivos Tiggo 5x, Tiggo 7 e Tiggo 8, continua produzindo normalmente. 

A marca sino-brasileira foi criada em 2017 quando o Grupo Caoa comprou 50% dos ativos brasileiros da marca chinesa Chery, inclusive a fábrica de Jacareí. 

No comunicado, a Caoa Chery não esclareceu se haverá a transferência da produção de algum dos modelos feitos na fábrica de Jacareí para a unidade industrial de Anápolis, se algum será importado da China ou se todos terão sua vendagem nacional simplesmente descontinuada – o Arrizo 6 Pro foi lançado no Brasil em outubro do ano passado e o Tiggo 3X Pro chegou às concessionárias brasileiras há apenas três meses, em fevereiro. 

“A pausa nos processos industriais de Jacareí será compensada pela intensificação da produção da planta industrial em Anápolis que está sendo preparada para novos lançamentos já no segundo semestre de 2022. Com isso, a Caoa Chery mantém sua meta de comercializar 60 mil unidades no mercado nacional em 2022', explicou a empresa no comunicado. 

A Caoa Chery já está em negociação com os trabalhadores da fábrica de Jacareí, que conta com quadro de 700 profissionais. O sindicato dos metalúrgicos local afirma que estão na mesa demissões e opções de ressarcimento aos empregados da unidade. 

“Não há nenhuma garantia que a unidade retomará a produção em 2025. Em três anos, muita coisa pode mudar', explica Weller Gonçalves, presidente do sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos e região. 

Quanto aos clientes, a Caoa Chery informa que seguirá prestando atendimento integral em suas mais de 140 concessionárias nacionais a quem comprou modelos fabricados em Jacareí, mantendo assistência técnica, garantias, peças e serviços.

Mais cores e potência

A Ford informa que deu início à venda do Bronco Sport 2022 no Brasil com um catálogo ampliado de cores e um ganho de 13 cavalos na potência homologada do motor EcoBoost 2.0. 

O SUV passa a trazer também espelhos com rebatimento elétrico de série, sem alteração de preço, mantendo os R$ 266.090 (base Brasília) na versão exclusiva topo de linha Wildtrak. 

O Bronco Sport 2022 adicionou quatro novas cores na paleta – Vermelho Aurora, Marrom Batu, Cinza Dover e Azul Indianápolis –. 

Com isso, ele conta com um total de 11 opções de cores, incluindo o Preto Astúrias, o Cinza Torres, o Branco Ártico, o Prata Orvalho, o Laranja Delhi, o Azul Malacara e o Azul Lyse, todas acompanhadas de teto e colunas em preto brilhante. 

Na linha 2022, o motor EcoBoost 2.0 traz ajustes que elevaram a potência e o torque para 253 cavalos a 5.500 rpm e 38,7 kgfm a 3 mil giros.

Autonomia sem ficção

A partir deste mês, a Mercedes-Benz passa a disponibilizar o sistema de condução autônoma Drive Pilot (SAE Nível 3) que pode ser encomendado como opcional para o Classe S e para o EQS na Alemanha. 

Isso torna a marca alemã a primeira fabricante de automóveis do mundo com uma certificação internacional válida para condução autônoma. 

O Drive Pilot permite que os clientes entreguem a tarefa de condução ao sistema, sob certas condições: em situações de tráfego intenso ou congestionamento em trechos de autoestrada adequados na Alemanha até uma velocidade de 60 km/h. 

Após ativado, o Drive Pilot controla a velocidade, a distância e orienta o veículo dentro de sua faixa. 

O perfil da rota, os eventos ocorridos durante o trajeto e os sinais de trânsito são analisados e levados em consideração. 

O sistema também reage a situações de trânsito inesperadas de forma independente, por exemplo, por meio de manobras evasivas dentro da pista ou por frenagem. 

O SAE Nível 3 baseia-se na tecnologia de detecção do veículo do Pacote de Assistência à Condução e inclui sensores adicionais, como principalmente o radar Lidar (sistema de medição de distâncias baseado na luz) e câmeras. 

Paralelamente, a Mercedes-Benz pretende obter a homologação para os estados norte-americanos da Califórnia e de Nevada até o final do ano, desde que a situação legal local permita a operação do sistema.

Estreia ou “revival'?

Quase 70 anos depois de a empresa italiana Iso Automotoveicoli, fabricante de motocicletas e triciclos, apresentou o projeto iniciado em 1952 denominado Isetta – Romi Isetta, para os mais íntimos –, o modelo está de volta. 

Agora com o nome de Microlino, a versão moderna e 100% elétrica da Romi Isetta, apresentada em 2016, será lançada comercialmente. 

A Alemanha e a Suíça serão os primeiros países a receber o novo “modelito', que preserva as características do Romi Isetta original, como o design icônico e uma única porta frontal, assim como as quatro rodas com o eixo traseiro com bitola bem menor em relação ao dianteiro. 

Alguns detalhes técnicos já foram revelados, como a autonomia de até 230 quilômetros, a velocidade máxima de 90 km/h, o peso de apenas 535 quilos e o preço básico de 12.500 euros (pouco mais de R$ 65 mil). 

A própria fabricante – a italiana Cecomp – diz que o Microlino não é um carro, mas sim “a mistura ideal de um automóvel e uma moto'. 

As características apresentadas correspondem ao modelo Romi Isetta 300 de Luxe, fabricado de 1959 a 1961, equipado com um motor de quatro tempos da BMW, com um cilindro, refrigerado por turbo ventilador, 298 cm³ e potência de 13,8 cavalos a 5.200 rpm.

Nome próprio

Considerado o maior salto tecnológico dentro do portfólio da Caoa Chery, o Tiggo 8 ganha nova versão em homenagem ao fundador da Caoa – Carlos Alberto de Oliveira Andrade, morto no ano passado aos 77 anos. 

Produzido em Anápolis (GO), o Tiggo 8 Founder’s (“fundador') Edition chega ao mercado com uma edição limitada a mil unidades e preço de R$ 214.990. 

A série especial conta com itens exclusivos como bancos dianteiros aquecidos, interior marrom, acabamentos em madeira, novo design de rodas aro 18, cobertura do porta-malas retrátil e banco do motorista com memória e ajuste de lombar e tapetes com a inscrição “Founder´s Edition'. A nova versão será comercializada nas cores cinza e azul. 

O Tiggo 8 é equipado com motor 1.6 Turbo GDi de 187 cavalos de potência e câmbio wet dual clutch de 7 marchas. 

O SUV traz de fábrica itens como painel de instrumentos digital em LCD-TFT de 12,3 polegadas, multimídia com tela de 10,25 polegadas de alta resolução, carregador de celular por indução (wireless), faróis em full-LED, acionamento remoto do ar-condicionado, compartimento central com refrigeração e câmera de 360 graus.

Assessorias fraudulentas

Com o aumento dos crimes digitais, as estratégias dos golpistas estão evoluindo rapidamente, com a estruturação de verdadeiros “escritórios' digitais, com estrutura e equipe de call center, utilização de robôs e hackeamento de vários bancos de dados. 

As estruturas criminosas estão cada vez mais tecnológicas, permitindo todo tipo de fraude, como é o caso da cobrança de veículos financiados em atraso. 

Essa cobrança fraudada das parcelas mensais ocorre de várias maneiras. 

Exemplo são as empresas chamadas de “assessorias', que conseguem dados de devedores, atraindo as vítimas com falsas promessas de redução dos juros, contrato de financiamento em até 50% do valor da parcela mensal e do financiamento total. 

Ainda um pouco desconhecido é o golpe em que os fraudadores se passam por advogados, entrando nos processos digitais de busca e apreensão, copiando os dados pessoais, os do veículo e os valores em atraso. 

Posteriormente, entram em contato com o financiando, como se fosse o escritório de cobrança, e negociam uma proposta com redução de até 50% do débito. 

Os consumidores pagam o boleto e somente depois descobrem a fraude quando são cobrados pelo verdadeiro escritório. 



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã News! 

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE