Advogada é presa pela morte do marido 27 anos após o crime

Mulher esteve foragida por quase três décadas no próprio estado onde o assassinato foi cometido

| JD1 NOTíCIAS/MéRI OLIVEIRA, COM FOLHAPRESS


publicidade

A advogada Gily Cristina Zinovetz, condenada pelo homicídio do ex-marido Jorge Pinto Duarte, morto em março de 1994, na Rodovia Rio-Santos, em Magaratiba, litoral sul do Rio de Janeiro, foi presa na tarde da última quarta-feira (12).

Gily estava escondida em uma casa na Ilha da Gigóia, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, e estava foragida da Justiça desde a época do crime.

Também foram acusados de participação no crime Cláudio Augusto da Conceição e Wagner André Luiz Lara Resende, com quem a advogada mantinha um romance e quem teria disparado dois tiros na vítima. 

Os fatos

Segundo a denúncia, Gily e Jorge estavam separados, após uma relação conturbada. Gily iniciou um novo relacionamento, desta vez com Wagner Resende, porém o ex-marido ainda tinha esperanças de reatar o caso.

No dia 14 de março, ela e os outros dois acusados alugaram um carro para seguir Jorge Duarte. Ele foi baleado quando parou a motocicleta para falar com Gily, que o aguardava na estrada.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE