Homens lideram número de óbitos de zero a 79 anos, aponta IBGE

Enquanto 1.243 meninos morrem ao nascer ou nos primeiros meses de vida, a quantidade cai para 1.064 no caso das meninas

| R7 / BRASIL | MáRCIA RODRIGUES, DO R7


Mortes de meninos com até 11 meses totalizam 1.243 e o de meninas 1.064 - Pixabay
publicidade

Os homens lideram o número de óbitos no Brasil desde o nascimento até os 79 anos de idade. É o que aponta a Tábua de Mortalidade, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta semana.

Enquanto o registro de mortes de meninos recém-nascidos e com até 11 meses chega a 1.243, os de meninas totaliza 1.064.

O volume só muda quando se compara as mortes de ambos os sexos na última faixa computada pelo IBGE, 80 anos ou mais: homens totalizam 43.546 e mulheres 60.574, ou seja, a expectativa de vida delas é bem maior do que a deles.

Segundo Renato Kfouri, pediatra e infectologista e presidente do departamento de imunizações da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), alguns fenômenos genéticos tentam explicar a suscetibilidade dos homens morrerem mais do que as mulheres, principalmente quando recém-nascidos ou bebês, mas é sabido que a mortalidade deles é maior do que a delas em todas as faixas.

Para qualquer doença infecciosa e de uma forma geral, o agravamento do quadro clínico e a morte do sexo masculino é sempre maior. A própria Covid-19 mostrou que os homens morrem mais do que as mulheres.

Renato Kfouri

Kfouri ressalta que, na fase adulta, mesmo tendo uma predisposição genética para ser menos resistente às doenças do que as mulheres, o que justifica o número mais elevado de mortes de homens é a falta de cuidados com a saúde.

'O homem se cuida menos. Vai menos ao médico, faz menos exame preventivo, toma menos vacina e tudo isso reflete na sua expectativa de vida', diz o médico.

A Tábua da Mortalidade também destacou que as mulheres vivem 1,9 ano mais do que os homens.

Um exemplo: enquanto a expectativa de vida de uma mulher com 80 anos ou mais é de 10,6 anos, a de um homem é de 8,7 anos.

Quando se fala em nascimentos, a diferença da expectativa de vida entre homens e mulheres é ainda maior. Enquanto as mulheres podem viver até os 80,3 anos, a expectativa de vida para os homens é de 73,3 anos, ou seja, sete anos menos.

O levantamento mostra que a expectativa de vida no Brasil subiu para 76,8 anos em 2020.

Para os nascidos em 2019, a expectativa era viver, em média, 76,6 anos.

Em cinco anos, a expectativa de vida subiu 1,3 ano, enquanto em dez anos houve um crescimento de 3,3 anos.

O IBGE admitiu que a metodologia utilizada pelo órgão para a construção da Tábua de Mortalidade 2020 não conseguiu registrar todos os óbitos do primeiro ano da pandemia de Covid-19 e o impacto dessas mortes na expectiva de vida dos brasileiros. Dessa forma, fica comprometido o dado anunciado no início desta quinta de que a expectativa de vida do brasileiro havia subido para 76,8 anos.

Isso porque, explica o IBGE, as tábuas de mortalidade publicadas anualmente, desde 1991, se baseiam em projeções que usam 'dados censitários, informações disponíveis sobre os registros de óbitos e o conhecimento acerca da Transição Demográfica e Epidemiológica da População Brasileira', itens que estão defasados no país por causa da falta de um novo Censo.

'As últimas tábuas construídas se referem ao ano de 2010, ano de realização da última operação censitária no Brasil', alega o instituto, que acredita que os dados serão mais precisos após o Censo de 2022.

Marília Mendonça colocou as mulheres como protagonistas do sertanejo

Marília Mendonça, de 26 anos, morreu na tarde desta sexta-feira (5) após a queda do avião em que estava, na serra de Caratinga, em Minas Gerais. A artista, que lançou o primeiro EP em 2015, foi responsável por colocar as mulheres como protagonistas na música sertaneja. Relembre a trajetória da cantora!

Reprodução/Instagram

A artista nasceu em 22 de julho de 1995, em Cristianópolis, Goiás, e deu os primeiros passos na música por meio da igreja que frequentava

Reprodução/Instagram

Com apenas 12 anos de idade, a sertaneja já se destacava como uma grande compositora 

Reprodução/Instagram

Em 2015, Marília, com apenas 20 anos, gravou o primeiro DVD, com direção musical de Eduardo Pepato. Em pouco tempo, o projeto se transformou em um fenômeno e conquistou o Brasil. À época, ela estourou com músicas como Sentimento Louco e Infiel — canção que chegou a ficar entre as mais tocadas em 2016

Reprodução/Instagram

O segundo álbum, Realidade, foi apresentado em 2017 e chegou a ser indicado ao Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Música Sertaneja. Dois anos depois, em 2019, ela lançou o projeto Todos os Cantos. O álbum, vale lembrar, conquistou o Grammy na categoria de Melhor Álbum de Música Sertaneja

Reprodução/Instagram

Com o projeto Todos os Cantos, Marília percorreu 19 cidades e lançou três EPs: Todos os Cantos Vol. 1, 2 e 3

Reprodução/Instagram

Em paralelo, em 2018, a cantora divulgou o projeto Agora É Que São Elas. O trabalho contava com quatro faixas inéditas: Estranho, Ausência, Parece Namoro e Coração Mal-Assombrado. Ao lado da dupla Maiara e Maraisa, o encontro audiovisual alcançou a marca de 1 bilhão de visualizações

Reprodução/Instagram

Ao longo dos últimos anos, ela se transformou em um dos principais nomes da música brasileira. Durante a carreira, a cantora acumulou prêmios como Troféu Imprensa, Troféu Internet e Grammy Latino

Roberto Filho/Brazil News

Em março de 2020, a estrela retornou ao palcos após o nascimento de Leo, o primeiro filho da cantora e fruto do relacionamento dela com Murilo Huff. À época, em entrevista coletiva, ela revelou que a decisão não havia sido fácil

Roberto Filho/Brazil News

No mesmo ano, junto com as cantoras e irmãs Maiara e Maraisa, Marília lançava o álbum intitulado Patroas. O projeto foi gravado como live no YouTube. No trabalho, destaque para a música Uma Vida a Mais, composição de Marília Mendonça, Maraisa, Juliano Tchula e Elcio di Carvalho, uma versão de Listen to Your Heart, da dupla de pop rock sueca Roxette

Ao longo da pandemia de Covid-19, por causa das medidas de isolamento social impostas pelas autoridades locais, a sertaneja realizou uma série de lives e invadiu as casas de todo o Brasil 

Reprodução/Instagram

Em outubro, Marília Mendonça e a dupla Maiara e Maraisa anunciaram o lançamento da turnê As Patroas — Tour 2022. Além disso, elas comentaram o lançamento do álbum Patroas 35%, em parceria com a Live Nation 

Alto Astral



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE