Portugal volta a exigir máscaras após anúncio de variante da Covid-19

Países da Europa começaram a apertar restrições e fechar fronteiras

| CORREIO DO ESTADO / FOLHAPRESS


publicidade

Enquanto fecham seus aeroportos para impedir a chegada de uma nova variante que pode ser mais contagiosa, governos europeus também apertaram mais uma vez nesta sexta (26) restrições contra a já preocupante onda de inverno de Covid no continente.

Em Portugal, um dos países que mais avançaram suas campanhas de vacinação, com mais de 80% dos habitantes imunizados, máscaras voltaram a ser obrigatórias nos espaços fechados, certificado de vacina será exigido para entrar em restaurantes e testes negativos para Sars-Cov-2 serão obrigatórios para entrar em asilos e hospitais.

Na Alemanha, o número de leitos de UTI ocupados por doentes com Covid dobrou em uma semana, passando de 2.000 para 4.000, levando o país a discutir novas restrições para conter a disseminação do coronavírus.

O Instituto Robert Koch, a agência federal de controle de doenças da Alemanha, pediu que os governadores alemães considerem a possibilidade de aprovar um lockdown nacional, para conter mais rapidamente o número de novos casos de Covid-19.

'Precisamos imediatamente de uma redução massiva de contatos entre as pessoas', disse o diretor do IRK, Lothar Wieler, ao anunciar que a taxa de contágio no país saltou 44% em uma semana.

Mesmo que não houvesse novas infecções, o governo alemão já previa um crescimento de 1.000 ocupantes nas UTIs, elevando a ocupação do país a cerca de 25%. Cirurgias não urgentes foram canceladas no país, para liberar leitos e funcionários.

Uma reunião entre governos estaduais e federal está prevista para 9 de dezembro, mas o ministro da Saúde, Jens Spahn, pediu que ela seja antecipada. 'Esperar 10 dias neste momento é uma temeridade.'

A preocupação com a nova onda de inverno da Covid não se restringe à maior economia europeia, que nesta semana já havia apertado as restrições para não vacinados. Na Bélgica, o premiê Alexander De Croo descreveu o quadro como 'muito pior que o pior dos cenários', ao justificar mais restrições além das anunciadas na semana passada.

Após ver o número de leitos de UTI ocupados dobrar em uma semana, o governo belga restringiu encontros, ampliou a exigência de máscaras e anunciou uma aceleração do reforço de vacinação, com prioridade para professores, além de idosos e doentes com sistema imunológico comprometido.

Casas noturnas e bares serão fechados por quatro semanas, a partir deste sábado, e haverá um toque de recolher às 23h para restaurantes, onde cada mesa só poderá ter no máximo seis clientes. A obrigação de trabalhar em casa quatro dias por semana foi prorrogada de 12 para 19 de dezembro.

Na Espanha, a Catalunha se juntou às outras regiões e tornou obrigatórios os certificados digitais para frequentar bares, restaurantes, asilos e outros locais públicos.

O governo holandês, que já impôs toque de recolher às 20h para bares e restaurantes e tornou obrigatório o uso de máscaras, se preparava para anunciar novas restrições no começo da noite desta sexta, após o número de novos casos crescer 40% em uma semana, pressionando o sistema público de saúde.

Entre as possíveis medidas está antecipar para as 17h o horário do toque de recolher, que atingiria também o comércio não essencial.

A Suíça estuda fazer neste domingo um plebiscito para que os eleitores decidam que autonomia pode ter o governo nacional para agir contra a pandemia —por exemplo, se pode exigir certificado digital para frequentar lugares públicos em todo o país.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE