Polícia identifica e faz buscas por acusados de matarem homem após vídeo beijando criança

Ao menos duas pessoas participaram do crime

| MIDIAMAX


Rosinaldo, logo após ser filmado beijando a criança - (Divulgação)
publicidade

Horas após o homicídio de Rosinaldo de Andrade Messias, 41 anos, na noite desta terça-feira (23) em Itaquiraí, a 402 quilômetros de Campo Grande, os autores do crime foram identificados. Equipes policiais fazem buscas pelos suspeitos e ao menos duas pessoas teriam participado do assassinato.

Conforme o delegado responsável pelo caso, Eduardo Lucena, uma pessoa teria feito o disparo de arma de fogo e outra pessoa seria um comparsa que acompanhou e participou do crime. Rosinaldo foi morto com um tiro na nuca, em casa, após um vídeo em que ele aparece beijando a enteada de 6 anos na boca, no domingo (21), ser publicado pela mãe da menina.

No vídeo, a família faz um passeio de lancha no Rio Paraguai. A mulher, que estava em um relacionamento com Rosinaldo há três meses chegou a contar para a polícia que estava bêbada no dia em que postou as filmagens, mas que nunca tinha notado comportamento estranho dele em relação às filhas.

Além da menina de 6 anos, ela também tem outras filhas de 1 e 12 anos. Em áudios divulgados nas redes sociais, ela conta que se arrependeu de publicar o vídeo, que foi postado no status do WhatsApp e apagado rapidamente após ela receber várias mensagens. No entanto, o vídeo foi salvo por outras pessoas e também encaminhado para o grupo da empresa onde Rosinaldo trabalhava.

“Se eu estivesse devendo alguma coisa, eu estava preso', chegou a dizer Rosinaldo em um áudio para os colegas de trabalho que estariam divulgando as imagens. Ele teria dito que processaria as pessoas por difamação. “Essa prova aí não significa nada', disse. Rosinaldo ainda alegou que estava em casa com a esposa e que as crianças passariam por exame de DNA, após a denúncia ter chegado à polícia.

A esposa do acusado e mãe das crianças também foi ouvida e é investigada pela omissão. O casal não foi preso no dia em que foi ouvido, já que não foi configurado flagrante. No entanto, foi feito pedido de prisão de Rosinaldo, que não chegou a ser expedido antes do homicídio. As crianças foram removidas do convívio familiar, pelo Conselho Tutelar, nesta terça-feira (23).

Além da mãe da criança, todos que estavam no barco serão ouvidos na delegacia por suposta omissão. Em depoimento especial, a menina que aparece sendo abusada no vídeo não relatou nenhum outro abuso anterior por parte de Rosinaldo, mas tudo será investigado, afirmou o delegado Lucena.

A mulher de Rosinaldo contou que, no dia do crime, os dois estavam em casa e o marido ao telefone, sendo que ela ouviu chamarem no portão e em seguida o criminoso entrou, chutou a porta e fez o disparo contra a vítima que morreu no local.

Com medo, a mulher fugiu e se escondeu em uma casa abandonada na região, sendo localizada pelos policiais e levada para a delegacia. Ninguém foi visto saindo da casa após o crime. Reforço policial de outra cidade teve que ser acionado após vários populares irem ao local, ameaçando queimarem a casa, com o corpo que estava na residência.



Compartilhe Esta Notícia Com Os Seus Amigos!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

Siga o Itaporã News no Youtube!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE