Homem que espancou e atirou em cachorro é preso ao agredir outro animal

Após reincidência, o autor foi preso pelo crimes de maus-tratos por força de mandado de prisão

| VIVIANE OLIVEIRA / CAMPO GRANDE NEWS


Imagem do primeiro caso mostra idoso agredindo o cachorro e na sequência atirando (Foto: reprodução / Rio Brilhante em Tempo Real)
publicidade

Homem de 60 anos que atirou e espancou cachorro em sítio foi preso por maus-tratos nesta quarta-feira (4) em Rio Brilhante, distante 163 quilômetros de Campo Grande, após agredir outro animal no fim de semana.

Conforme o site Rio Brilhante em Tempo Real, foi compartilhado nas redes sociais, novo vídeo em que o suspeito aparece agredindo com pedaço de galho um cachorro acorrentado.

'Diante do elevado risco que o suspeito oferece aos animais e graças à alteração legislativa que aumentou a pena para o crime de maus-tratos, quando se tratar de cão ou gato (art. 32, §1°-A, da Lei 9.605/95), a autoridade policial representou pela prisão preventiva, que foi aceita judicialmente'.

Durante o cumprimento do mandado, a equipe de investigação avaliou as situações dos animais que se encontravam na residência. Aparentemente, os cachorros apresentavam bom estado de saúde e houve compromisso com os demais moradores da casa em cuidar dos animais.

Caso -  O primeiro aconteceu no dia 14 de setembro, no Assentamento São Judas. As imagens da agressão se espalharam nas redes sociais. Segundo informações repassadas pela Associação Mundo Animal, o cachorro pertence ao enteado do agressor, que precisou deixar o animal no sítio da mãe enquanto fazia uma obra em casa. No vídeo, é possível ver o homem usar um cinto para ferir o animal e até sacar uma arma e disparar na direção dele.

No momento do tiro, uma adolescente está perto do cachorro. A situação teria revoltado a própria família, que denunciou o caso à polícia. No dia seguinte ao crime, equipes da delegacia da cidade foram ao sítio, mas não localizaram a arma usada pelo suspeito. Ele também foi ouvido, mas na sequência liberado.

Pena - A lei que aumenta as penas para quem maltratar cães e gatos foi sancionada em setembro. Desde então, o crime passou a ser punido com prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda. Antes, a pena era de detenção de três meses a um ano, além de multa.

A pena de reclusão da nova lei prevê cumprimento em estabelecimentos mais rígidos, como presídios de segurança média ou máxima. O regime de cumprimento de reclusão pode ser fechado, semiaberto ou aberto. Assista, abaixo,  ao vídeo de uma das agressões ocorrida no mês de setembro.



SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã News! 

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real

Siga o Itaporã News no Youtube!