Regionalização da Saúde avança com novos hospitais em 10 cidades de MS

o Governo fortalece e moderniza a rede de atendimento à população sul-mato-grossense.

| PORTAL DO MS


publicidade

O plano estratégico da regionalização da saúde em Mato Grosso do Sul segue em execução pelo Governo do Estado. Com recursos aplicados em obras de construção, reforma e ampliação de prédios hospitalares em 10 cidades do interior, o Governo fortalece e moderniza a rede de atendimento à população sul-mato-grossense.

Mesmo vivendo há 16 meses uma pandemia que freou as atividades econômicas mundo afora, o Governo do Estado manteve os investimentos na área da saúde e fez duas importantes entregas no último ano: os hospitais de Jardim e Maracaju. A ampliação do Hospital Marechal Rondon, em Jardim, triplicou a capacidade de atendimento da unidade, que fazia em média três mil atendimentos por mês no ambulatório. Em Maracaju, o Hospital Municipal Soriano Corrêa da Silva recebeu um novo pronto-socorro totalmente equipado.

Outra obra da saúde que deve ser inaugura nos próximos 60 dias está em Nioaque. A Unidade Mista de Saúde Aroldo Lima Couto passa por reforma e ampliação para se tornar um hospital de pequeno porte. Depois de pronto, o prédio promete dar vida à Nioaque. Isso porque o local vai abrigar uma farmácia 24 horas e uma maternidade, onde serão feitos os partos de mulheres grávidas - o que não ocorre na cidade desde 2009.

“Saúde sempre foi uma das prioridades da população. Por isso, planejamos melhorar as estruturas dos hospitais, equipando os polos regionais com mais leitos e aparelhos para exames complexos. Tudo para modernizar os serviços e ampliar o atendimento às pessoas. Em todas as nossas ações, o diálogo com as lideranças municipais foi fundamental para definir os investimentos em Mato Grosso do Sul”, afirma o governador Reinaldo Azambuja ao destacar que todos os empreendimentos têm parcerias municipais e federal.

Novos hospitais

Em construção, novos hospitais regionais em Três Lagoas e Dourados vão ampliar o atendimento à saúde de 43 municípios que formam as duas macrorregiões. No Bolsão, a construção do Hospital Regional de Três Lagoas está 97,30% concluída, na fase final de limpeza e desmobilização do canteiro de obras. Alguns equipamentos e mobílias já foram comprados e estão no almoxarifado da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Outros estão em fase de licitação para a compra. Em Dourados, a edificação do prédio está 33% concluída, entrando na fase de acabamentos, com previsão de entrega em abril de 2022.

'Seguimos com a estruturação da rede hospitalar de Mato Grosso do Sul dentro da determinação do governador Reinaldo Azambuja de levar a saúde cada vez mais próxima dos cidadãos. Essa é nossa missão, feita em parceria com prefeitos e secretários municipais de saúde. Com a viabilização de construções, reformas e ampliações, bem como a compra de equipamentos, a regionalização está cada vez mais forte', explica o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, que destinou milhões de reais em emendas parlamentares, de quando era deputado federal, para obras em hospitais de MS.

Para o secretário de Infraestrutura do Estado, Eduardo Riedel, a regionalização da saúde é o verdadeiro legado da pandemia. 'Ampliamos em 440% no número de leitos do SUS, distribuídos de forma regionalizada no Estado, e agora estamos vendo unidades hospitalares importantes e estrategicamente distribuídas para atendimento da nossa população, mostrando o compromisso do Governo de Mato Grosso do Sul com a saúde'. 

Construções, reformas e ampliações de estruturas hospitalares em Bodoquena, Caarapó, Corumbá, Maracaju, Nova Andradina e Ponta Porã vão modernizar ainda mais o oferta de serviços no interior do Estado. Em Bodoquena, convênio entre o Estado e o município garante reforma e ampliação do Hospital Municipal Francisco Sales. Contemplando os setores de nutrição, recepção, laboratório, centro cirúrgico e pronto-atendimento médico, a obra teve início em junho de 2020, está em 30% executada e passa por ajustes de contrato.

Em Caarapó, a reforma e ampliação do Hospital Beneficente São Mateus, iniciada em junho de 2020, é a primeira intervenção feita em 47 anos. Em Corumbá, a Santa Casa de Misericórdia também passa por melhorias. Com mais de 50% de execução, a obra passa por reordenação de planejamento. Já em Maracaju, a construção do Centro de Especialidades da Mulher está em fase final, com expectativa de conclusão em outubro deste ano.

Para Ponta Porã, o Governo prepara processo licitatório referente à ampliação da enfermaria do Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, que vai possibilitar a implantação de 32 novos leitos clínicos na unidade. Também se encontram em andamento processos licitatórios para a aquisição de novos equipamentos. De Nova Andradina, o Hospital Regional Francisco Dantas Maniçoba também recebe obras de modernização em toda sua estrutura, como UTI Neonatal, Banco de Leite, Unidade de Cuidados Intermediários e Centro de Diagnóstico por Imagem - todos setores com obras próximas do término.

Bruno Chaves, Subcom Foto destaque: Seinfra (Hospital Regional de Três Lagoas)



Compartilhe Esta Notícia Com Os Seus Amigos!

Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE