Ex-morador de Itaporã agradece apoio e tratamento que recebeu enquanto se recuperava da Covid-19

| REDACAO ITAPORA NEWS


Miller Maran e Dr. Alexandre Satoshi inagaki
publicidade

O jovem Miller Maran de 27 anos entrou em contato com o site Itaporã News, o mesmo que já foi morador de Itaporã, contou a redação um pouco da história de sua recuperação após contrair a Covid-19, e que gostaria de agradecer a algumas pessoas por todo o cuidado que recebeu.

O jovem explicou que contraiu a doença no mês de maio e seu quadro se agravou, necessitando então de ser internado em um leito hospitalar. Por estar no pico da pandemia as vagas de UTI estavam super lotadas, mas o mesmo conseguiu uma vaga e foi encaminhado ao hospital regional de Dourados, e com apoio e tratamento que recebeu conseguiu se recuperar totalmente.

"No hospital fui muito bem recebido pela equipe, onde me colocaram em uma sala de estabilização, e utilizaram alguns aparelhos que me tiravam a falta de ar e me geravam um melhor conforto. Eu nunca tinha ouvido falar daqueles aparelhos, eu acreditava que pacientes com falta de ar tinham que ser intubados em leitos de UTI".

"Comecei a pesquisar mais sobre o protocolo que vinha sendo usado e trazendo grandes resultados, onde vi vários pacientes saírem do hospital sem precisar passar pela intubação. Conheci o Dr. Alexandre Satoshi inagaki, Fisioterapeuta da cidade de Dourados, que desenvolveu o protocolo em questão: capacete helmet, cânula nasal de alto fluxo. Apenas tenho a agradecer muito a ele e a toda sua equipe".

"A equipe foi muito bem preparada para manusear os aparelhos da forma correta, fazendo com que eles funcionassem em minha estabilização. Após a alta hospitalar iniciei minha reabilitação fisioterapêutica na clínica Satoshi Fisioterapia, de propriedade do Dr. Alexandre, onde mais uma vez observei o amor e o carinho que ele e toda a sua equipe tem com os pacientes", disse Miller.

Por fim, o jovem explicou que ao contrário do que muitos pensam, a reabilitação fisioterapêutica pós-covid é fundamental para que os pacientes voltem a ter uma rotina normal, visto que as sequelas deixadas pela doença (fadiga, dores pelo corpo, dificuldades ao respirar, etc.) podem impossibilitar várias atividades.

Itaporaenses como o Sr. Roberto, também passaram pelos cuidados da mesma equipe fisioterapêutica, bem como muitos ainda estão em tratamento, a senhora Jovenilda (esposa do Baiano do pastel), por exemplo. A história do jovem reforça que o cuidado e principalmente a dedicação de um profissional em salvar vidas fazem toda a diferença.



Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE