Estiagem mal começou e Rio Miranda já pode ser atravessado a pé em Jardim

| ANA PAULA CHUVA / CAMPO GRANDE NEWS


Dados do boletim do Imasul desta sexta-feira (16).
publicidade

O período de estiagem em Mato Grosso do Sul, provocado pelo inverno sem chuvas e com baixa umidade relativa do ar, mal começou e já é possível ver seus efeitos na natureza. Imagens registradas no Rio Miranda, em Jardim, cidade a 239 km de Campo Grande, na tarde de quinta-feira (15), mostram o nível da água tão baixo que o trecho pode ser atravessado a pé.

O vídeo gravado e postado pelo cirurgião-dentista, Saulo Roberto Mioto da Costa, 39 anos, mostra trecho do Rio Miranda, entre as cidades de Jardim e Guia Lopes da Laguna, abaixo do nível comum.

Pelo Direto das Ruas, ele contou que é morador da região há 9 anos e que durante a estiagem é comum ver o nível da água baixar, mas dessa vez se assustou e teve a impressão de que o assoreamento 'chegou mais rápido'.

De acordo com o boletim diário do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) publicado nesta sexta-feira (16), a estação de medição mais próxima da região seria a da Estrada MT-738 em Bonito, onde o Rio está em 146 cm, como a base de referência é de 96 cm a situação é considerada normal para  a época do ano.

Ao Campo Grande News, o doutor em geociências e meio ambiente,  Sidney Kuerten, explicou que com base nos dados do Imasul e das estações telemétricas que medem a vazão dos rios, pelo valor de referência a região está com 50% acima da cota de referência.

'Apesar de baixo e da transparência que permite que as pessoas vejam essas barras sedimentares, a situação ainda não é de emergência. Claro que como não vemos isso todo dia, ficamos assustados com o assoreamento', explicou

'São verdadeiras dunas submersas. A estação mais próxima daqui é da MT-738 em Bonito, nessa medição a cota está normal, já na estação de Aquidauana, o Rio Miranda está abaixo do valor de referência para a região então já emite o sinal laranja de alerta para a estiagem', continuou o especialista.

No entanto, Sidney ressalta que a estação telemétrica da Estrada MT-738 está bem abaixo da região de Jardim e mesmo sendo a mais próxima, a medição não é exatamente a do trecho que foi mostrado no vídeo.

'Falta uma estação mais próxima a nós, que poderia estar monitorando também o deflúvio do Rio Santo Antônio. Quando aqui em Jardim nós já começamos a ver, muitas formas do leito, o assoreamento aparece de maneira mais fácil, a gente também já enxerga que o canal está com pouca água. Então não é uma leitura de todo o canal. OS rios precisam de leituras em diferentes seguimentos.', finalizou Sidney.

Direto das Ruas - A denúncia chegou ao Campo Grande News por meio do canal Direto das Ruas, meio de interação do leitor com a redação. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos devem ser feitos com o celular na posição horizontal.



Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE