Conceito conhecido como neo-retrô ganha espaço

Ares Design apresenta releitura moderna do De Tomaso Pantera de 1970

| ICARROS


publicidade

A onda nostálgica não diminuiu mesmo em tempos em que quase só se fala em novas tecnologias, conectividade, automóveis autônomos e elétricos. Ou até “carros voadores”, não verdade, apenas versões ampliadas de drones.

Leia mais: + Debate positivo sobre mobilidade sustentável + Mercado deve reagir mais rápido que o esperado + Meta de redução de mortos não será atingida no País

Um exemplo de empresa que aposta neste filão é a Ares Design, estabelecida em Modena, Itália. Ela foi fundada por Dany Bahar e Waleed al Ghafari e está focada em três pilares de atividade.

Em primeiro lugar, desenvolver interiores e exteriores exclusivos. Isso inclui a única versão cupê do Bentley Mulsanne; Ares X-Raid baseado no Mercedes-Benz G63 AMG; e o Ares Design GT3 para o conceito Porsche Targa.

O segundo enfoque está em transformar automóveis clássicos em modelos cheios de tecnologia que ainda se parecem com o original de décadas passadas, mas sem nenhum dos problemas anteriores de confiabilidade e desconforto. Um exemplo é Corvette Sting Ray 1964, construído a partir de um chassi de Corvette C7 (sétima geração).

Parece que veio direto de algum filme clássico de Steve McQueen, porém dispõe de um motor V-8 de 525 cv e sonoridade típica, tecnologia keyless, faróis de LED, ar-condicionado, sistema de som de alta qualidade, conectividade Bluetooth e porta USB. Tudo suntuosamente revestido de couro vermelho, além de um grande capô preto.

O terceiro pilar e mais recente é a ressurreição de automóveis icônicos. O programa se chama “Legends reborn” (Lendas renascem, em tradução livre). A inspiração do primeiro produto foi o De Tomaso Pantera, apresentado no Salão de Nova York, de 1970. A ideia se inspirou em experiências anteriores. No entanto, avançou muito em estética e mecânica dentro da filosofia conhecida pela alcunha neo-retrô.

Batizado de Panther Progettouno, levou mais de dois anos para ser desenvolvido. O desenhista Mihai Panatescu criou uma releitura moderna do modelo original, de linhas extremamente atraentes e instigantes. Bem interessante ainda é o aproveitamento da arquitetura do Lamborghini Huracán, supercarro esporte italiano que pertence ao Grupo VW, lançado em 2014 e ainda em produção.

Porém, há diferenças fundamentais como o monobloco inteiramente em compósito de fibra de carbono. Essa importante característica em termos de leveza e resistência explica o título do filme institucional: Moldando carbono. Veja abaixo.

O motor é o V-10 original de 5,2 litros, 650 cv e 61,2 kgfm. Os 10 cv extras vieram de um sistema de escapamento em aço inoxidável desenvolvido especialmente pela Ares. Manteve a caixa de câmbio automatizada de dupla embreagem e sete marchas, bem como o sistema original de tração nas quatro rodas.

Portanto não se constitui em surpresa os números superlativos de desempenho: 0 a 100 km/h em 3,1 segundos e velocidade máxima de 325 km/h.

O interior tem acabamento e materiais de primeiríssima qualidade como couro, camurça Alcantara, fibra de carbono e alumínio.

A Ares Design planeja construir 21 exemplares do Panther Progettouno. Cada um por preço pouco modesto de 615.000 euros (R$ 4 milhões, em conversão direta).

A fábrica artesanal de Modena já planeja outro modelo ainda mais instigante, seu Progettoduo. A versão modernizada do espetacular e clássico Ferrari 250 GTO com toda a mecânica de um Ferrari 812 Superfast. 

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Facebook (facebook.com/iCarros) Instagram (instagram.com/icarros_oficial) YouTube (youtube.com/icarros)


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR! COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS!

Siga e curta o Itapora news no Facebook 

Entre em contato com o Itaporã News 

Para falar com a equipe do Itaporã News, encaminhar fotos, denúncias e sugestões, entre em contato pelo WhatsApp (67) 9  9641 8820.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE