Com forte demanda por crédito, MS já contratou 175 milhões em operações do FCO em 2021

| AGORAMS


No setor rural foram contratadas até o momento 250 operações que somam R$ 147 milhões – Divulgação
publicidade

Já foram realizadas mais de 350 operações do FCO neste ano

Mato Grosso do Sul realizou mais de 350 operações do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) que resultaram em R$ 175 milhões contratados, entre os setores rural e empresarial em 2021. Ainda há outras 626 operações em andamento que somam R$ 852 milhões em demandas em andamento.

O FCO é coordenado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), que preside o CEIF-FCO (Conselho de Investimentos Financiáveis pelo FCO). Na reunião de abril, pode-se constatar a forte demanda dos setores empresarial e rural por crédito para investimentos, mesmo no cenário atual.

“Mesmo diante dos efeitos econômicos provocados pela pandemia de Covi-19, vemos uma aceleração na contratação nos dois setores para investimentos e isso mostra o otimismo do empresário. Na reunião de ontem aprovamos quatro projetos avícolas que somam mais de R$ 20 milhões, além de projetos de irrigação e mais de 100 operações para aquisição de máquinas e equipamentos”, explica o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro e presidente do CEIF.

No setor rural foram contratadas até o momento 250 operações que somam R$ 147 milhões e há outras 431 operações que totalizam R$ 460 milhões em fase de contratação. Já no empresarial são 106 operações contratadas, que somam R$ 28 milhões e outras 195 operações totalizando R$ 392 milhões internalizadas e em andamento.

Mato Grosso do Sul terá disponível R$ 1,698 bilhão em recursos do FCO no ano de 2021 para o financiamento de novos empreendimentos rurais e empresariais. Em 2020 foram realizadas 3.371 operações de crédito no FCO, sendo 1810 no Rural e 1561 no Empresarial, que utilizaram 100% do total de R$ 1,5 bilhão disponíveis para Fundo no ano passado.

Efeitos da pandemia no setor de turismo

O CEIF também recebeu e analisou um ofício Conselho Estadual de Turismo pedindo a suspensão das parcelas a vencer até 31 de dezembro, dos empresários do turismo devido aos efeitos da pandemia no setor. “O conselho entendeu ser legítimo o pedido e agora vai encaminhar ao Ministério do Desenvolvimento Regional o parecer”.

O conselho também aprovou o pedido de retomada do FCO emergencial para capital de giro, uma linha exclusiva para auxiliar empresários impactados pela pandemia. “Vamos pedir o retorno dessa linha com montante de R$ 100 milhões. Em 2020 tivemos mais de R$ 200 milhões disponíveis e contratamos R$ 41 milhões. Sabemos que há uma burocracia, mas a linha bem para ajudar aqueles que precisam”, destacou o secretário.



Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do portal Itaporã news (67) 996418820

Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

Clique aqui e receba notícias do Itaporã News no seu WhatsApp!

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE